LOW CARB – Entenda o que é este conceito e seus benefícios.

Ao nos depararmos com “low carb” – uma das queridinhas das pessoas – logo pensamos no que o próprio nome expressa “poucos carboidratos” – se traduzido para o português livre!


Agora, o que poucas pessoas sabem é que a low carb trata-se de um conceito – que consiste nesta diminuição de ingestão de carbos. Por isso, vários tipos de dieta podem ser adequados a esta proposta de baixo consumo do carboidrato. Modalidades como a paleo, a South Beach, a Zone Diet, a Slow Carb, até mesmo a cetogênica, podem conter a essência “low carb”, adequadas ao perfil de cada uma delas.


Mas, porque ela preconiza a baixa ingestão de carboidratos?! Uma vez que eles estimulam o acúmulo de gordura, ou seja, para quem quer emagrecer ou diminuir a massa gorda, é uma boa dica (com recomendação médica, óbvio) – diminuir o consumo deste tipo de alimento.




Para entender melhor, acontece o seguinte: ingerimos pães, massas, biscoitos, doces e todos tantos produtos ricos em carboidratos e o nosso corpo automaticamente os transforma em glicose, ou seja, em níveis excessivos de açúcar no sangue que são tóxicos. Para reduzir esta quantidade de açúcar, o corpo libera insulina, que realiza três tarefas básicas após isto: suspende a queima de gordura, converte açúcar em gordura e acelera o estoque de gordura. E mesmo que o açúcar no sangue diminua, você ainda está com a insulina circulando nele, então fica inviável transformar esta gordura toda em energia, acumulando-a e, pela escassez desse nível energético no corpo, ele pede mais comida. Entendeu o ciclo sem fim e o motivo pelo qual muitos engordam?

Principalmente porque quase tudo em que ele está presente é que o ingerimos estão em alimentos processados, que são cheios de glúten e que liberam uma grande quantidade de açúcar, e ambos são como um veneno silencioso. Em contrapartida, os níveis de insulina no sangue caem quando reduzimos a ingestão de carboidratos, e como é a insulina que “segura” a gordura dentro do tecido adiposo, evitar os carboidratos faz com que a gordura acumulada seja liberada e processada para produzir energia. Literalmente, um baixo de teor de carboidrato tem como efeito a queima das gorduras indesejadas! Isso sem contar a farinha dita “de trigo”, que de “trigo” não tem nada, pois ela passa por todo um processo industrial de refinamento, que separa do trigo a casca e o gérmen, mantendo apenas o endosperma do grão que depois é moído. Nesse processo retira-se grande parte das propriedades nutricionais do alimento. Para quem não sabe, as farinhas são produzidas através do esmagamento dos grãos de cereais, transformando-os em pó fino.

Por isso, os alimentos consumidos em uma Dieta Low Carb são “hipoinsulínicos”, ou seja, não estimulam a liberação de insulina, permitindo assim que seu corpo utilize a energia que precisa para sobreviver a partir da queima da gordura. Daí, muitos acabam perguntando se isso não é prejudicial de alguma forma… Mas é simples! Todo o carboidrato que o organismo precisa é produzido a partir da gordura ou da proteína que, por meio de um processo chamado Gliconeogênese, são convertidas em glicose, ou seja, gera a energia de que o corpo precisa!

Porém há aminoácidos e gorduras essenciais que precisam ser consumidos, junto com alimentos ricos em vitaminas e minerais. Quando adotamos a dieta Low Carb, é importante  compreender que a sua principal fonte de energia serão os alimentos ricos em gorduras  saturadas, monoinsaturadas e poliinsaturadas. A gordura trans é que deve ser excluída. Ela é a industrializada, como a margarina e óleos parcialmente hidrogenados, e também acaba decorrendo da elevação de temperaturas no uso de gorduras vegetais, como nas frituras.

Existem algumas vantagens importantes numa dieta como essa. A primeira é que não vai haver tanta sensação de fome, exatamente porque os carboidratos serão naturalmente substituídos por proteínas e gorduras. A perda de peso é maior é mais rápida do que em dietas em que se restringe as gorduras, as Low Fat. Uma pesquisa divulgada na publicação Lipids, comprovou que um grupo em dieta Low Carb emagreceu quase o dobro que um grupo em dieta de baixo teor de gordura, mesmo com a ingestão da mesma quantidade de calorias. Os triglicerídeos, que são um fator de risco para doenças cardíacas, caem drasticamente com a redução do carboidrato. O HDL, colesterol bom, aumenta exatamente pela inclusão de gorduras de boa qualidade. Os níveis de insulina e glicose caem, reduzindo os riscos de diabetes tipo 2. 

Existem inúmeros benefícios para a saúde quando nos submetemos a uma alimentação mais saudável. Porém cada organismo reage de uma forma diferente a novos hábitos. Então é fundamental o acompanhamento de um profissional de saúde ou nutrição habilitado para indicar o que melhor se enquadra nas suas condições de saúde. 

Alimentos você pode ingerir em maior quantidade nesse período!

·         Abacate, morango, pêssego, melão e coco.

·         Proteínas mais magras como peixes e aves sem pele, carnes magras como patinho, filé mignon, alcatra.

·         Nozes, macadâmias, azeitonas, azeite.

·         Abobrinha, brócolis, couve-flor, acelga, cogumelos, aipo, tomate cereja, couve, agrião, pimentão, aspargos, abobrinha, berinjela, espinafre, pepino, cebola, chuchu, vagem, rúcula, escarola, alho-poró, aipo e alface.


Importante: Você pode replicar este artigo. Desde que respeite a Autoria integralmente e a Fonte.

Publicado em : 30 de janeiro de 2017

Por: Dr. Barakat

@doutorbarakat

http://drbarakat.com.br/

http://drbarakat.com.br/low-carb-entenda-o-que-e-este-conceito-e-seus-beneficios/

CRM 68874) Dr. Mohamad Barakat,

Formado pela FMABC-UNIFESP/EPM,

Pós-Graduado em Endocrinologia e Metabologia pela IPEMED